segunda-feira, 25 de abril de 2016

José Paulo Paes - "Paraíso"



Olá! Vamos falar hoje do autor José Paulo Paes.


José Paulo Paes nasceu em Taquaritinga (SP), em 1926, e foi um poeta, ensaísta, tradutor e jornalista. Mudou-se para Curitiba em 1944 para cursar a faculdade, onde conviveu com artistas da época.
Trabalhou no ramo farmacêutico até retornar a São Paulo, em 1949, quando tornou-se editor na Editora Cultrix. José Paulo Paes passou a escrever para o público infantojuvenil apenas em 1984.
Faleceu aos 72 anos, em 1998.
O poema que vamos ver hoje é o Paraíso, que pertence ao livro Poemas para Brincar, “poemas que falam da curiosidade infantil” (CAMPANÉR).

Editora Ática, 2008

PARAÍSO

Se esta rua fosse minha,
eu mandava ladrilhar,
não para automóvel matar gente,
mas para criança brincar.

Se esta rua fosse minha,
eu não deixava derrubar.
Se cortarem todas as árvores,
onde é que os pássaros vão morar?

Se este rio fosse meu,
eu não deixava poluir.
Joguem esgotos noutra parte,
que os peixes moram aqui.

Se este mundo fosse meu,
eu fazia tantas mudanças
que ele seria um paraíso
de bichos, plantas e crianças.


O poema, que lembra muito a cantiga “Se essa rua fosse minha”, foi tema de um projeto Multidade da escola Lua Nova, em Salvador: http://escolaluanova.com.br/acontece-na-lua-nova/190-multidade-se-esta-rua-fosse-minha.html
Vou ficando por aqui. Até o próximo!

BIBLIOGRAFIA:
- CAMPANÉR, Laura, Brincando com as palavras, Revista Interativa Borage, UOL, em http://www2.uol.com.br/borage/rbi56/brgr56_liricas.htm;
- ESCOLA LUA NOVA, Se essa rua fosse minha..., Acontece no Lua Nova, em http://escolaluanova.com.br/acontece-na-lua-nova/190-multidade-se-esta-rua-fosse-minha.html;
- REVISTA EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM AÇÃO, Paraíso, em http://www.revistaea.org/artigo.php?idartigo=501.

Nenhum comentário:

Postar um comentário